Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Publicações > Assuntos > Produção > Publicações > Biografias > Di Carlo Antonio Gerolano Maria Galleani Napione Coconato, Carlos Napion
Início do conteúdo da página

Di Carlo Antonio Gerolano Maria Galleani Napione Coconato, Carlos Napion

Acessos: 2260

Nasceu na cidade de Turim, Itália, a 30 de outubro de 1757. Alistou-se no Corpo Real de Artilharia aos 14 anos (1771), tornou-se subtenente (1775), tenente (1785) e capitão (1790). Elaborou um tratado de química para o curso destinado aos oficiais do Laboratório Metalúrgico do Arsenal de Turim, tendo sido nomeado para a cadeira de metalurgia. Atuou no Exército sardo onde assumiu o Laboratório Químico-Metalúrgico e o Museu Mineralógico, sendo nomeado conselheiro do Real Conselho. Lutou contra as forças de Napoleão em 1793, 1795 e em 1797, na segunda coligação europeia contra a França revolucionária. Em 1800 foi contratado por d. João VI com o objetivo de reorganizar a Artilharia do Exército português, tornando-se inspetor de oficinas. Foi promovido a coronel, nomeado vogal da Inspetoria de Artilharia e eleito para a Academia de Ciências de Lisboa por sua contribuição nessa área. Veio para o Brasil junto com a família real, em 1808, onde integrou o Conselho Supremo Militar e de Justiça em 1808, e foi o responsável pela instalação da Real Fábrica de Pólvora da Lagoa Rodrigo de Freitas, tornando-se seu diretor. Presidiu a junta militar que dirigia a Academia Real Militar, criada em 1810. A fundação da Companhia dos Artífices do Arsenal Real, em 1810, o fez acumular ainda os cargos de inspetor-geral de Artilharia da Corte e Capitania do Rio de Janeiro e de inspetor da Real Fábrica de Pólvora. Em 1812, assumiu o cargo de inspetor e fiscal da Real Fábrica de Ferro de São João de Ipanema. Foi condecorado com a grã-cruz da Ordem da Torre e Espada. Morreu no Rio de Janeiro em 27 de junho de 1814.


Bibliografia
BARBOSA, Raymundo Rodrigues. Justiça militar: história do Supremo Tribunal Militar. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1952.

BENTO, Cláudio Moreira. O tenente-general Napion: patrono do Material Bélico. O Patolino, Resende, p. 6-7, 1979.

PONDÉ, Francisco de Paulo Azevedo. Tenente-general Carlos Napion. Revista do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil, Rio de Janeiro, n. 62, 1º sem. 1971.

Fim do conteúdo da página