Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Tomé de Souza

Acessos: 2738

Nasceu em Rates, Portugal [c. 1503]. Primo de Martim Afonso de Souza e d. Antônio de Ataíde, conde de Castanheira, influente conselheiro do rei d. João III. Ingressou na carreira militar aos 15 anos; lutou contra os mouros em Arzila (1527-1532) e Safim (1534), na África. Serviu na Índia em 1535, no comando de uma nau, retornando para Portugal em 1537, quando foi agraciado com o título de fidalgo da Casa Real. Com o fracasso do sistema das capitanias hereditárias, a coroa portuguesa estabeleceu o governo-geral do Brasil em 1548. Pela carta régia de 7 de janeiro de 1549 foi nomeado por d. João III o primeiro governador-geral do Brasil, tendo Salvador como sede político-administrativa da colônia. Chegou à Bahia em março de 1549 acompanhado por cerca de mil homens entre fidalgos, militares, marinheiros, funcionários da Coroa, jesuítas, trabalhadores de diversos ofícios, colonos e degredados. O regimento de 17 de dezembro de 1548 definiu seus poderes, que incluíam promover o povoamento das terras, através da concessão de sesmarias, além das matérias administrativas, de justiça, de fazenda, militar e de polícia. Em sua administração, estimulou a agricultura, com o incremento à cana-de-açúcar, e introduziu o gado bovino no nordeste, trazido de Cabo Verde. Policiou e defendeu a costa, organizou expedição e viagem de correição do ouvidor-geral e provedor-mor, liderada por Pero de Góis, às capitanias de Ilhéus, Porto Seguro, Espírito Santo e São Vicente; melhorou as relações com os índios e iniciou o trabalho de catequese. Realizou viagem de inspeção às capitanias do sul acompanhado pelo padre Manoel de Nóbrega, tendo fundado o Colégio dos Jesuítas no planalto de Piratininga. Retornou a Portugal em 1553, sendo substituído no cargo de governador-geral por Duarte da Costa. Foi confirmado como vedor da Fazenda e, em 1563, recebeu uma sesmaria na capitania da Bahia. Morreu na cidade de Rates, Portugal, em 1579.


Bibliografia
ABREU, C. de. Capítulos de história colonial. Brasília: Senado Federal, 1998. Coleção Biblioteca Básica Brasileira, volume 65.

GOUVÊA, M. F. S. “Tomé de Souza”. In: VAINFAS, R (dir). Dicionário do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. A instituição do Governo Geral. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História Geral da Civilização Brasileira. A Época Colonial. Do descobrimento à expansão territorial. Tomo I, 1º volume. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1960, p. 108-137.

ZÚQUETE, Afonso E. Martins. “Dom João terceiro e sua descendência”. In: Nobreza de Portugal. Lisboa: Editorial Enciclopédia, 1960, volume I.

Fim do conteúdo da página