Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Publicações > Biografias > Júlio Prestes de Albuquerque
Início do conteúdo da página

Júlio Prestes de Albuquerque

Publicado: Quinta, 30 de Junho de 2022, 00h00 | Última atualização em Quinta, 18 de Agosto de 2022, 11h47 | Acessos: 509

Nasceu em Itapetininga, São Paulo, em 15 de março de 1882. De família tradicional de proprietários rurais, era filho de Olímpia de Santana Prestes e Fernando Prestes de Albuquerque. Seu pai era advogado, um político de grande prestígio, líder republicano e membro da direção do Partido Republicano Paulista (PRP) além de ter sido deputado estadual entre 1892 e 1897, deputado federal em diferentes legislaturas, presidente (1898 e 1900) e vice-presidente do estado (1908 e 1927), e senador estadual (1928). Fez os primeiros estudos em sua cidade natal e o curso secundário no Ginásio do Estado, na cidade de São Paulo. Em 1902, ingressou na Faculdade de Direito de São Paulo, que concluiu em 1906. Depois de formado exerceu a advocacia e, em 1909, deu início à carreira política, pelo PRP. Foi deputado estadual em sucessivas legislaturas (1909-1912, 1913-1915, 1916-1918, 1919-1921 e 1922-1924) e deputado federal (1924-1927), tendo sido líder da bancada paulista na Câmara dos Deputados. Integrou os chamados ‘batalhões patrióticos’, que combateram com as forças governistas a revolta tenentista que eclodiu em São Paulo, conhecida como Revolução de 1924, na região da Estrada de Ferro Sorocabana, ao lado de seu pai,  Ataliba Leonel e Washington Luís. Com a morte do presidente do estado, Carlos de Campos, seu pai renunciou ao cargo de vice-presidente, o que exigiu a realização de novas eleições. Indicado pelo PRP, foi eleito presidente do estado (1927-1930), e sua gestão foi marcada por uma reforma administrativa, com a reestruturação e criação de importantes órgãos públicos, como o Manicômio Judiciário, o Instituto Biológico de Defesa Agrícola e Animal, a Escola de Medicina Veterinária de São Paulo, e os asilos-colônias Cocais, Aimorés e Pirapitingui, para portadores de hanseníase. Além disso, ampliou a rede pública de ensino, iniciou a construção da estação São Paulo da Estrada de Ferro Sorocabana e do tronco ferroviário Mairinque-Santos; investiu em estradas de rodagem; construiu prédios públicos e realizou obras para o abastecimento de água da capital paulista; e fez pesquisa para prospecção de petróleo. Foi indicado pelo presidente da República, Washington Luís (1926-1930), candidato à sucessão presidencial, tendo o presidente da Bahia, Vital Soares, como candidato a vice-presidente. Não obteve o apoio dos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba, que se uniram em oposição na Aliança Liberal, lançando a candidatura de Getúlio Vargas para presidente e de João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, presidente da Paraíba, como vice. Venceu as eleições, mas com a eclosão da chamada Revolução de 1930, que depôs o presidente Washington Luís (1926-1930), teve impedida sua posse, dando-se início ao governo provisório de Getúlio Vargas (1930-1934). Pediu asilo ao consulado britânico e partiu para o exílio na Europa, primeiro em Paris, até fixar-se em Monte Estoril, Portugal. Em 1934, regressou ao Brasil, dedicando-se às suas fazendas. Em 1945, participou da fundação e integrou a direção da União Democrática Nacional (UDN), partido de oposição ao governo Vargas que reuniu representantes das oligarquias e os alijados do poder na reconfiguração das forças políticas após a Revolução de 1930. Publicou poemas em jornais, além de memórias, textos de ficção e discursos políticos. Morreu em São Paulo, em 9 de fevereiro de 1946.

                                                                                                                                     Dilma Cabral
                                                                                                                                            Set. 2021

 

Bibliografia

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO. República Velha. Disponível em: https://bit.ly/39uj6bO. Acesso em: 20 set. 2021.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Júlio Prestes, o último presidente da República Velha: o arquivo privado de um homem público. São Paulo: Apesp, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3u0Hr2t. Acesso em: 20 set. 2021.

FAUSTO, Boris. A Revolução de 1930: história e historiografia. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

PRESTES, Júlio. In: DICIONÁRIO Histórico-Biográfico da Primeira República (1889-1930). Disponível em: https://bit.ly/3lNn9Wu. Acesso em: 22 set. 2021.

TOLEDO, Edilene. Um panorama da história social e política de São Paulo da ascensão à queda de Júlio Prestes (1909-1930). Revista do Arquivo: uma publicação on-line do Arquivo Público do Estado de São Paulo, v. II, p. 1-11, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3AA6mw3. Acesso em: 20 set. 2021.

UNIÃO Democrática Nacional (UDN). In: DICIONÁRIO Histórico-Biográfico da Primeira República (1889-1930). Disponível em: https://bit.ly/39sz6uG. Acesso em: 22 set. 2021.

Fim do conteúdo da página