Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Publicações > Biografias > João de Almeida Melo e Castro, conde de Galvêas
Início do conteúdo da página

João de Almeida Melo e Castro, conde de Galvêas

Publicado: Quinta, 08 de Julho de 2021, 10h04 | Última atualização em Quinta, 19 de Agosto de 2021, 11h03 | Acessos: 356

Nasceu em Lisboa, Portugal, em 23 de janeiro de 1756. Filho de Antônio José de Almeida Beja e Noronha, fidalgo-cavaleiro da Casa Real, e de Violante Joaquina de Melo e Castro, filha de Francisco de Melo e Castro, governador de Moçambique (1750-1758). Fez carreira diplomática, tendo sido embaixador de seu país em Viena e ministro extraordinário e plenipotenciário junto às cortes de Haia, Roma e Londres. Em Portugal, foi nomeado secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros (1801-1803). Por ocasião da permanência da corte portuguesa no Brasil, foi nomeado por d. João VI secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Domínios Ultramarinos (1809-1814) e dos Negócios Estrangeiros e da Guerra (1812-1814), conselheiro de Estado, membro do Conselho da Fazenda e presidente da Real Junta de Fazenda dos Arsenais do Exército, Fábricas e Fundições. Foi responsável pela proposta de criação do Laboratório Químico-Prático, do qual foi inspetor, efetivada por d. João VI pelo decreto de 25 de janeiro de 1812. Foi oficial-mor da Casa Real; couteiro-mor da Casa de Bragança e comendador de São Pedro de Alhadas na Ordem de Cristo; grão-cruz das ordens militares de São Bento d’Avis e Torre e Espada. Morreu no Rio de Janeiro, em 18 de janeiro de 1814.

 

Bibliografia 

CASA GALVEIAS. In: ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA TORRE DO TOMBO. Disponível em:  https://bit.ly/2z6dPIM. Acesso em: 5 jun. 2020. 

LIGHT, Kenneth. A viagem marítima da família real: a transferência da corte portuguesa para o Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

ZÚQUETE, Afonso Eduardo Martins. Nobreza de Portugal: bibliografia, biografia, filatelia, genealogia, heráldica, história, nobiliarquia, numismática. Lisboa: Enciclopédia, 1960-1961.

 

Fim do conteúdo da página